8 de set de 2009


na minha retina tem um retrato dela
e no peito, colado no avesso,
um post-it " eu te amo" escrito de caneta bic

27 de ago de 2009

A dita cuja



Passamos um tempo andando descalças para curar alguns calos. Mas o tempo todo morrendo de saudades do bico-fino 44...

Neste momento, eu e a D. Scarpina estamos caminhando há 2.500 km de distância, mas nessa caixinha é como se estivéssemos calçando o mesmo sapato.

E foi muito bom perceber que mesmo durante a nossa ausência muitos pés passaram por aqui.

Pra compensar o tempo perdido, vou entrar de sola com um post que tava doido pra sair há um tempão. Sim, essa é uma profunda e cuidadosa pesquisa sobre a DITA CUJA. Mais especificamente sobre como ela é dita por aí.

Eu tenho minhas preferências e acho que a escolha do substantivo cabeludo (ou não) dever ser cuidadosa e adequada à situação. Afinal, ninguém quer ouvir na hora H: "ai, que inhanha cheirosa" ou " hummm, vem aqui na minha chaculeta".

Reunimos algumas pérolas sinônimas e nos divertimos loucuras imaginando um uso pra cada uma delas. A lista continua aberta a contribuições, afinal de contas, a gente sabe que pra safadeza a nossa língua tem inspiração sem fim (ops!)

Então, meninas, meninos e menines, aproveitem porque essa aula o professor Pasquale não dá! Vamos expandir o nosso vocabulário:

A
aranha, abençoada, área vip, aveludada

B
Buceta (ou boceta), boca-de-pelo, buça, bacalhau, bixinha, brecha, bucéfula, bacurinha, banguela, bife a role, biscoito recheado, boca de baixo, boca vertical, boca banguela, borboleta, brecheca, bueiro, boca-de-gia

C
Concha, cona, cabacinha, caranguejeira, carne-mijada, cova, caixa dos prazeres, cachuleta, caixinha de ouro caminho da felicidade, campo alagado, chechenia, custozinha

F
Fofinha, farfalhota, fenda, flor, fornicada, fruto proibido, furustreca

G
gruta, grelo, garagem da frente, gulosinha

I
Inhanha

L
Lacraia, lasca, lascada

M
Morcega, manteigueira, marisco

N
negócio, nhanha, nica

O
ostra

P
pachacha, pepeca, perereca, piriquita, perseguida, pitrica, prexeca, passarinha, pitareca, pombinha, pipi, pito, pimpolha, pitchulinha, pixota, pussy, pixirica (via paulie)

Q
quirica

R
racha, rachada, rata, lasca, risonha (via nina ferri)

S
senaita, sininho, suvaco de coxa

T
tabaco, tabaca, tchaca, tcheca, tchonga, taturana, tobinha, triângulo

V
vulva, valiosa, velcro

26 de mai de 2009

por que mulher é tão difícil?


Maria Sapatilha: fiz um pão de canela pra você!

D.Scarpina: hmm...preferia uma massagem...

Maria Sapatilha: tá bom, no próximo eu coloco passas

D. Scarpina: mas eu não gosto de passas

Maria Sapatilha: eu sei ...

PROP 8 DOWN!

Os casamentos contnuam proibidos, e eu meio que já esperava por isso.
Mas comemoramos o reconhecimento dos 18.000 casamentos já realizados.
A estrada é longa, mas cada passo é uma vitória ;)
vou colocar meus sapatinhos vermelhos e dar um pulinho alí na califórnia!

26 de abr de 2009

Das coisas que permanecem


Depois de dois anos morando fora, voltei para casa dos meus pais. Remexendo em minhas coisas (que a essa altura já foram parar na garagem) encontrei minhas agendas: os diários da minha adolescência, tempo em que o maior problema da minha existência era Felipe Mendonça do 1° C não retribuir meus olhares.

Mas entre papéis de chocolate e poesias do Vinícius, encontrei vestígios da mulher que sou hoje. Do alto dos meus 14 anos já detestava filmes dublados, donzelices, pessoas mal vestidas e festas de debutante. Descobri também que minha maior felicidade ao trocar de turma no primeiro ano de escola foi descobrir que nela só havia 10 meninos e 32 meninas(!!!). Mas nem adianta pensar: que sapinha safada! Nessa época eu estava ocupada demais em ter paixões platônicas por meninos que não davam a menor bola para mim. Além do mais, em breve descobria que a maioria das 32 era insuportável, que os meninos eram muito mais legais e que eles é que seriam meus amigos durante todo o 2º grau.

Lembrei de como eu me sentia diferente dos outros (e gostava disso!), do meu gosto por escrever, da paixão pela poesia, de como eu me sentia segura por ser quem eu era e por minha beleza fora dos padrões. Eu já estava ali. Não importa o quanto a escola e os outros tentassem me dizer que o certo é ser igual, que existe um Deus cruel e vingativo, que mulher que anda fora da linha pode ser chamada de puta ou sapatão (eu fui chamada dos dois, claro! e sem motivo, juro!) e que a felicidade está endereçada só pra quem chegar ao fim daquela linha sem ter pisado fora.

E foi ali, em meados de abril 1996, que dei de cara com uma frase esquecida desde então, e que hoje entendo melhor: "Faze do teu delito o vão que te permite ver o sol". Como se com a minha sabedoria larga e rasa de 14 anos, eu tivesse colado ali aquele conselho sabendo que 13 anos depois o teria posto em prática.

Mesmo que o meu "delito" tenha ocorrido pra lá do arco-íris, tão longe de casa e do olhar tão crítico da minha mãe, sinto-me orgulhosa dos meus "pecados" e do caminho ensolarado que percorro desde então.

ah! a frase é da Cássia Eller ;)


12 de abr de 2009

Café da Manhã em Plutão


Depois de ser abandonado por sua mãe na porta do padre Bernard, Patrick cresce notanto o quanto é diferente dos outros meninos mas não deixando sua natureza por nada nesse mundo.
Até o dia que decide ir a Londres para encontrar sua verdadeira mãe.
Mais uma comédia gay deliciosa.

"Uma história colorida de Neil Jordan. uma irritantemente maravilhosa comédia. que celebra o poder da imaginação". (Stephen Holden, The New York Times).

Atenção para os botões bordados na camisa do uniforme. rs

[Torrent+legenda]

ou

[emule]

ou

[rapidshare]
parte 1
parte 2
parte 3
parte 4
parte 5

senha do .rar: http://farra.clickforuns.net


Aproveitem e boa páscoa!

1 de abr de 2009

Descoberta a origem genética da homossexualidade

Uma junta de cientistas europeus e asiáticos apresentou um polêmico estudo sobre as origens da homossexualidade.

Os resultados confirmam a existência do gene gay e sugere que ele se encontra nas células reprodutivas masculinas, reforçando a visão de que a homossexualidade faz parte da vasta diversidade genética do homem, ou seja: é uma condição natural.

Devido a seu conteúdo altamente controverso os cientistas foram atacados por diversas entidades conservadoras e as pesquisas foram interrompidas.
Em sinal de protesto, espermatozóides gays ganharam a rua exigindo o seu reconhecimento.


31 de mar de 2009

Diálogos de Amor (via MSN)


Dona Scarpina diz: puta que pariu!

Maria Sapatilha diz: quem?

Dona Scarpina diz: acabei de baixar um filme. dubladão valadares!

Maria Sapatilha diz: afff...deleta.

Dona Scarpina diz: deleto não. vou ver! eu vejo na tv, imagina se depois de 2 dias baixando não vou ver uma comedia romântica!

Maria Sapatilha diz: DUBLADA!

Dona Scarpina diz: já to vendo.

Maria Sapatilha diz: (emot de legal)

Dona Scarpina diz: heaven i'm in heaven. ta tocando instrumental aqui.

Maria Sapatilha diz: (emot de sorrisinho) então vai lá =*

Dona Scarpina diz: and i seem to find the happiness i seek

Maria Sapatilha diz: (emot de arco-iris)

Dona Scarpina diz: começou a cantar! eu adoro essa música!!!

Maria Sapatilha diz: (emot de coração)

Dona Scarpina diz: mas eles arrasam

Maria Sapatilha diz: (emot de hã?)

Dona Scarpina diz: o casal do filme

Maria Sapatilha diz: ahhhhh

Dona Scarpina diz: muito brodway!

Dona Scarpina diz: ó, eles não são um casal, são irmãos. eu queria um irmão assim

Maria Sapatilha diz: amor, pior que ver filme dublado é ver pelo msn!

Dona Scarpina não pode responder mensagens no momento






25 de mar de 2009

Qual o sexo do seu cérebro


A revista Época publicou neste dia 25 uma matéria sobre o funcionamento cerebral de homens e mulheres. Os cientistas que desenvolveram a pesquisa afirmam que o sexo do seu corpo não necessariamente é o mesmo do seu cérebro. Um homem pode ter um raciocínio feminino e uma mulher pode pensar como homem.


Os pesquisadores afirmam que esta variedade pode ser consequencia da quantidade de testosterona a que o bebê é submetido ainda no útero e que isso pode explicar também a origem da homossexualidade. (talvez explique também porque eu gasto tanto dinheiro com depilação)


Eu fiz o teste, e comigo deu coluna do meio. Ótimo: bissexual, nome de mulher com sobrenome de homem, delicada nos gestos e agressiva nas ações Só mais uma prova de como eu sou complicada!

O da Dona Scarpina deu 9, o que comprova muito as habilidades manuais da moça. (sem safadeza, meninas!)

E você?
No título da postagem tem o link para a matéria completa e o teste.
Não esqueçam de voltar para contar o resultado ;)

24 de mar de 2009

Aimée & Jaguar



Aimée e Jaguar me faz lembrar da primeira vez que eu fui numa locadora procurar um filme gay.


Na época minha primeira namorada tinha achado uma daquelas minúsculas, com corredores apertadíssimos e prateleiras até o teto. Ela pertencia a duas senhoras bem velhinhas e a menina insistia que as duas eram do babado e que eu tinha que conhecer. Como eu tinha que conhecer também todos os filmes, músicas, peças e livros gays que a minha ignorância não havia ainda deixado eu sequer ouvir falar..

Chegando lá, entendi o porque de sua insistência, elas tinham as prateleiras divididas em algo do tipo gays, gays light, lésbico, lésbico light*. Fiquei obviamente tão ou mais enlouquecida quanto da primeira vez que baixei torrents ou arquivos rmvb.

Tinha de um tudo por lá. Rio agora lembrando da minha timidez e vergonha, de ficar naquelas sessões, misturadas com a ganancia de ver todos os filmes de uma só vez. Não sei porque, eu precisava daquilo pra aceitar que eu era normal, tão normal que até existiam filmes que mostravam pessoas como eu.

Hoje estou aqui com a minha mulher, escrevendo esse blog talvez na esperança de ajudar algumas pessoas a se aceitarem melhor, de acreditarem que podemos ser felizes, de fazer presença, dividir, compartilhar, e por último mas não menos importante de divertir essa nossa comunidade do babado.

Sobre o filme?Ah..
"Em plena Segunda Guerra Mundial, a judia Felice Schragenheim resolve por permanecer em Berlim, mesmo havendo o perigo constante de ser capturada a qualquer momento pelos soldados nazistas. Tudo por causa de seu grande amor: Lilly Wust, a pacata esposa de um soldado alemão e mãe de três filhos."
[Fenix]

Vale a pena!

* como os marcadores da Universo da Fenix que gentilmente nos agraciou com esse link
rmvb
http://www.megaupload.com/?d=2QHBEOVN

ou
[rapidshare] legendas em espanhol...
Parte 1
Parte 2
Parte 3
Parte 4
Parte 5
Parte 6
Parte 7
Parte 8

23 de mar de 2009

Pretty Handsome

pretty handsomePretty Handsome é um piloto de uma série que tem tudo pra dar certo menos o apoio das emissoras de tv.
A princípio ele seria exibido pelo canal Fx, que pelo que eu entendi, colocou a negociação de molho.
A FOX ainda não conseguiu, e parece não ter interesse em fazer seu programa ser adotado por nenhum outro canal, mas seu piloto foi colocado na internet para que assim pudesse ganhar alguns seguidores.
Posso dizer que me conquistaram, pois é impecável e não deixa nada a desejar.

Mas, comecei com a polêmica sem nem contar sobre o que se trata...
O ator Joseph Fienne esta incrível no papel de um ginecologista que, desde criança, tem suas tendências transformistas/sexuais reprimidas por sua família. Casado e com dois filhos ele tenta se encaixar num modo de vida que a cada dia fica mais insustentável. Tudo começa a ser visto sob uma nova perspectiva quando atende Mario Wallace um transgenero que quer que seus ovários e utero sejam retirados.
O piloto fala sobre aceitação de si e do coletivo para todos os indivídos da série. Embora sejam uma família, cada personagem tem sua própria história.

Sem mais delongas, baixem aqui, assistam, escrevam, mandem emails para a FOX.. Criem polêmica!

http://fxuk.com/contact/
http://www.fxbrasil.com.br/br/contact


22 de mar de 2009

De fora do closet

[desenho de Dona Scarpina]

É engraçado estar nessa situação. A amiga da Maria Sapatilha no caso era eu, Dona Scarpina.

Uma coisa que temos em comum é a famosa língua afiada. Mas o meu caso foi há anos, quando tive minha primeira namorada após muito tempo namorando o meu melhor amigo. Minha mãe, tinhosa como só ela, me colocou pra fora do armário à ponta pés:

O que a dita cuja é sua?, foi sua pergunta.

Minha língua, sem pensar duas vezes e atrevida como sempre, disse sem que eu pudesse conter:
quer mesmo saber? Minha namorada... [cri cri cri]

Eu preferia que tivesse sido diferente, pois passamos dois anos mal nos falando. Oito anos passados e depois de algumas sessões de análise, nosso relacionamento é uma delícia.

Agora, após dois anos de namoro, Sapatilha oficialmente me convidou para conhecer seus pais. Mas quando chegamos lá... "— Passa a salada por favor".

Mas não recrimino a minha querida Sapatilha de forma alguma. Moramos em outra cidade e ela me assume no trabalho, para todos os amigos e até para a tia com quem ela mora. A mãe dela só vai ficar sabendo se for extremamente necessário para a Maria contar. Vivo pertubando ela com isso, só por perturbar mesmo, por que por mim ela não precisa contar. Isso tem que vir dela.

E a tal viagem para conhecer a família foi interessante: por mais que meus amigos digam que dou pinta à distância, não criei nenhuma comoção na família. Fiz eles gostarem de mim por minha personalidade sem nenhum pré-conceito e saí de lá como: queridinha, volte sempre.



Leia também: De dentro do closet

21 de mar de 2009

Viva a diversidade!


Eu não gosto "lugares gays". Prefiro lugares em que qualquer pessoa, independente da sexualidade, possa se sentir à vontade. Nisso a D. Scarpina concorda comigo (né, amor?) É, eu moro no Rio e posso me dar ao luxo de frequentar lugares desse tipo pertinho de casa. Sei que não é assim em todas as cidades do Brasil (eu, por exemplo, sou de Recife e tenho a impressão de que aquela cidade é um armário gigante).

Mesmo assim, convivo com gays desde que me entendo de gente. Este"mundo" sempre esteve presente, e essa "palavra" sempre fez parte do meu vocabulário, mesmo que minha primeira namorada só tenha acontecido aos 25 anos.

Não sei se por ser bi, não sei se por ter nome de mulher e sobrenome de homem, mas para mim nunca houve ou sim, ou não. Eu já nasci num mundo colorido, enquanto a maioria é apresentada a um mundo binário e preto e branco: bonito/feio, certo/errado, céu/inferno, masculino/feminino, gay/hetero. Ou isso, ou aquilo

Imaginem então a minha surpresa ao ingressar oficialmente no L World e descobrir que era mais bem aceita como S(impatizante) do que como L(ésbica). Sim, porque mesmo me identificando como bi, ao andar na rua de mãos dadas com a minha namorada eu estou exercendo, e com orgulho, o papel social de lésbica. Mas o "mundinho", muitas vezes, parece ter dificuldade em enxergar todas as nuances e tons da sexualidade. (Quem diria?)

Mas, ora bolas!, não estou aqui para chorar pitangas. Se por um lado nunca ganhei uma rifa, sorteio, partida de bingo ou porrinha, por outro sempre tive a sorte de encontrar pessoas maravilhosas no meu caminho. Sejam, heteros ou gays, meus amigos sempre me olharam com o olhar delicado daqueles que sabem que entre o preto e o branco existe uma tabela pantone.


Este post era para ser um comentário da matéria The L: Word or World? no Parada Lésbica mas ganhou vida própria e veio parar aqui.

19 de mar de 2009

We love tees


O que seria de nós mulheres modernas sem nossas camisetas? Tradicionais, regatas, moderninhas, soltinhas, de mangas longas, não importa: nós simplesmente não vivemos sem elas!

Mas como nem tudo na vida é tão simples assim, nem mesmo camisetas, seguem aqui algumas dicas para um melhor desempenho da sua TEE.

1- Meninas peitudas: nunca, eu disse NUNCA, usem um decote alto. Camisas fechadas demais, além de não valorizar sua beleza natural (ou comprada), dão a impressão de que seus peitos estão na cintura. Faça o teste e compare! Prefira sempre camisetas com decotes em V ou U e Boops Up!

2- Pliiiissss: camiseta apertada demais não dá! e Barriguinha de fora NÃO! Não importa quão gostosa você seja, vai sempre parecer uma das bitchs do concurso camiseta molhada do Gugu. É vulgar e cafona para quem tem mais de 14 anos. Use roupas do seu tamanho!

3- Acesórios, acessórios, acessórios! e por acessório eu não quero dizer boné e relógio! Lenços, Bottons, broches, echarpes, colares, bolsas e sapatos legais dão um up na produção e deixam sua camiseta básica pronta para qualquer batalha.

4- Você até pode usar aquela Tee querida e velhinha, mas acompanhe com um jeans novo e sapatos limpos! Não deixe ninguém pensar que você está com ela por falta de roupa.

5- invista em estampas legais e que tenham a ver com sua personalidade. Nunca esqueça que a roupa que você usa é uma declaração sobre quem você é, mesmo que você não concorde com isso. É a mais pura verdade. Você não é o que veste, mas veste o que você é.

6- Para que sua camiseta dure mais: leia sempre a etiqueta! ela está ali exatamente com esta finalidade. Na dúvida use sabão neutro, seque à sombra e pendure na altura das cavas da manga para evitar deformar a barra ou as alças.



Alguns lugares que amamos e recomendamos:

Banca de camisetas Ótimos preços, malha fininha e 3 tipos de modelagem para meninas
Non Sense Estampas modernas e inteligentes
Treadless Site gringo com estampas mara

Em Recife eu recomendo uma banca no camelódromo (na altura da Floriano Peixoto). Lá você chega com qualquer dez contos e sai com pelo menos 2 (sim, duas!) camisetas. A maioria é Hering. Mas olho crítico: algumas tem pequenos defeitos de fábrica.

Lembre-se: se você não nasceu com o dom ou não tem paciencia para comprar roupas, leve um amigo gay. Além de fazer o dia dele feliz, o seu guarda-roupa vai agradecer.

E antes que algum hippie-socialista-anti-capitalista-politicamente-correto venha me chamar de superficial e alienada: seu post será automaticamente deletado. As mal vestidas que me perdoem, mas classe é fundamental.

De dentro do closet


Acho que eu preparo minha mãe para a minha saída do armário desde muito nova, mesmo que eu ainda nem desconfiasse que um dia estaria dento de um.

Dentre as inúmeras habilidades da minha língua, o sarcasmo é uma das mais desenvolvidas, e quando ele não funciona a fina grosseria não deixa a desejar. Sou famosa na família como a língua mais ferina, e ganhei esse título por mérito, com orgulho.

Quando eu tinha uns 15 anos, freqüentava rodas de pogo, shows decadentes de rock e usava as calças do meu irmão caçula. Decidida então a ter uma peça masculina só minha, me dirigi com mami querida para C&A: na sessão masculina infantil (era o que os meus 40 kg permitiam). Escolhia meu bermudão como uma debutante escolhe o vestido do baile.

Daí, minha querida progenitora, que observava tudo com aquele olhar que só mãe sabe dar, solta a seguinte (in)direta: “não gosto dessas bermudas em você, parece sapatão”
“e se eu for?”, solta sem frescuras a dita língua.
Mami: não vou poder fazer nada, só lamentar que você seja infeliz porque essa é uma vida muito difícil”.

Nunca entendi bem isso. Infeliz deve ser quem nunca amou, ou se sentiu amado. Difícil deve ser viver na escuridão de uma armário mofado, espremida entre cabides com roupas que você nem gosta!

Doze anos depois, a língua mais domesticada não consegue encontrar o momento de dizer: ‘mãe, sabe aquela amiga minha que veio aqui? Pois é... ’ Mas todas as noites durante o jantar eu ensaio: “lembra daquele dia na c&a? Passa a salada por favor...”


18 de mar de 2009

Sonhando alto



Em 75 países do mundo a Homossexualidade é considerada crime. A pena vai desde uma repreeensão por autoridades oficiais em estados como Egito, Cuba e Burundi (eu fico imaginando a sapatinha lá na frente do juiz escutando: Presta atenção mocinha, que eu só vou falar uma vez: a partir de hoje só sai de casa de maquiagem e vestido, e pode tratar de esquecer a sinuca às quintas! O quê? Cantora de MPB!? nem pensar! A senhorita começa no balé amanhã!), mas em países como Arábia Saudita, Paquistão e Nigéria apedrejamento e outras penas de morte podem ser aplicadas. Ainda há uma lista enorme de países em que prisão e humilhação pública são previstas por lei para quem ousar ir contra a vontade de "deus" e do estado.

Isto é institucionalização da homofobia, queima às bruxas em pleno século XXI!!! "ah! mas estes são países com leis primitivas regidas por fundamentalismos religiosos". Não é bem assim: os EUA e Grécia são as únicas democracias em que um homossexual assumido não pode ingressar nas forças armadas!


Por tudo isso, em 18 de dezembro do ano passado a ONU fez a leitura da Declaração dos direitos dos homossexuais, proposta pela França e assinada po 66 países, entre eles o Brasil. A declaração é baseada na Declaração dos direitos humanos e pede que a homossexualidade deixe de ser consirerada crime nos países onde ainda o é.

À época da leitura o morador do número
1600 da Pennsylvania Avenue, Mister Bush, se fez de idiota (sem grande esforço) e não gastou tinta colocando a assinatura dele lá no documento da ONU. Mas como desde janeiro ventos mais frescos(sem duplo sentido, por favor!) sopram por lá, o presidente Obama declarou todo o seu apoio e rubricou a proposta. Espero que ele use a mesma caneta para validar o casamento gay por lá.

Hoje estou sonhando do alto do meu salto 15...

Tirem suas perucas da estante


Nada mais justo do que abrir nossa caixa com esse filme. John Cameron Mitchell realizou, na minha opinião, os dois melhores filmes que abordam a sexualidade humana em toda sua profundidade, sem no entanto se tornar panfletário ou simplesmente "temático", já que são exercícios de estética cinematográfica deslumbrantes.

HEDWIG AND THE ANGRY INCH até pouco tempo só era encontrado em VHS ou DVDs importados, mas se vocês não contarem pra ninguém, aqui temos alguns links em que ele pode ser encontrado.


HEDWIG é um musical glam-rock escrito, dirigido e protagonizado por Mitchell. Rock, sarcasmo, poesia, uma animação lindíssima e perucas (muitas perucas!!!) fazem de HEDWIG um filme amado e respeitado no mundo inteiro, capaz de comover até o Jesse Valadão!

A trilha original toca sempre no meu PC. E esse é um dos filmes que eu sempre revejo e apresento para as "pretês" : é uma cantada que nunca falha!
(D. Scarpina é testemunha!)

Um bônus especial desse filme é a animação do clipe The Origin of Love, que mostra uma interpretação do trecho de o Banquete de Platão. Onde Aristófanes apresenta a Erixímaco sua versão para a origem do amor, em que os seres originalmente eram "completos" e Zeus com medo do nosso poder nos reparte ao meio. Daí vem aquela história da busca pela sua outra parte (alma gêmea, metade da laranja, blá blá).

Esse é obrigatório e para ver a dois!


Confiram o trailer



Rmvb:
1-Part - 2-Part
3-Part - 4-Part

Torrent .avi:
http://www.mininova.org/tor/1867281
e a legenda tem no http://legendas.tv/ mas tem que se cadastrar. É tranquilo!

O outro filme de Mitchell é Shortbus, que em breve estará aqui ;)

17 de mar de 2009

Abrindo a caixa


Somos do tipo de pessoa que já sai dá loja com o sapato novo no pé, como quem apresenta o mundo a um recém nascido: "This is my way" ( Com Frank Sinatra cantando ao fundo).

É...a gente faz trilha sonora imaginária de músicas incidentais para as coisas que acontecem ao redor... e essa é só mais uma das nossas estranhas manias.

A caixa está aberta!

Are you ready boots? Start Walking!